Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Após ler a Bíblia, muçulmana entende a diferença de “ser muçulmano e ser cristão” - VIDA FM 104,9 - O bom da vida é ser feliz!

Fale conosco via Whatsapp: +55 61 3718-1414

No comando: Um amigo na Madrugada

Das 00:00 às 03:00

No comando: Madrugada com Deus

Das 03:00 às 05:00

No comando: Manhã Sertaneja

Das 05:00 às 07:00

No comando: Domingo na Vida

Das 05:00 às 09:00

No comando: Clássicos da Vida

Das 07:00 às 08:00

No comando: Sabado com Vida

Das 07:00 às 16:00

No comando: De Bem com a Vida

Das 08:00 às 12:00

No comando: Abre a Porteira

Das 09:00 às 12:00

No comando: Vida FM

Das 12:00 às 13:00

No comando: Clássicos da Vida – 2ª edição

Das 12:00 às 13:00

No comando: Domingo de Adoração

Das 13:00 às 15:00

No comando: É do Senhor Jesus

Das 15:00 às 18:00

No comando: Tarde do Avivamento – Ao vivo da Igreja do Monte

Das 16:00 às 18:00

No comando: Arena Gospel

Das 16:00 às 19:00

No comando: Sabado da Vida

Das 18:00 às 19:00

No comando: A Voz do Brasil!

Das 19:00 às 20:00

No comando: Sabado de Adoração

Das 19:00 às 21:00

No comando: Ouvindo a Voz de Sião

Das 20:00 às 21:00

No comando: Cultos do Monte Sagrado

Das 20:00 às 22:00

No comando: Boa Noite Vida

Das 21:00 às 00:00

No comando: A Hora da Promessa

Das 22:00 às 00:15

Após ler a Bíblia, muçulmana entende a diferença de “ser muçulmano e ser cristão”

Acreditar em Deus, exercendo algum tipo de fé, é algo comum para a grande maioria da população. Mas, saber entender os fundamentos racionais, históricos e até científicos da própria fé ao ponto de discernir se está ou não no caminho certo, não é algo que todos fazem. Felizmente, após ler a Bíblia Sagrada, uma muçulmana entendeu a importância disso.

Aisha, assim como muitos, já nasceu em uma família religiosa. Seus pais eram muçulmanos conservadores, mas ela não seguia o islamismo de forma criteriosa, conforme ensina a doutrina. Por causa disso, ainda jovem ela passou a ser muito criticada e agredida pelo próprio pai.

Os episódios de agressão ocorriam também porque Aisha simplesmente questionava a doutrina islâmica, inclusive o próprio Maomé, considerado um profeta pelos muçulmanos. “Ele me chamava de nomes que nenhum pai deveria chamar uma filha”, disse ela, lembrando que o pai, apesar de conservador, sofria com o alcoolismo.

O testemunho da agora ex-muçulmana foi contado no canal StrongTower27, no YouTube. “Senti que nunca conseguiria acompanhar ou corresponder ao que era esperado de mim. E minha família não gostou muito dos meus questionamentos”, lembra a jovem.

Com medo da violência do esposo, a mãe de Aisha pediu para se mudar com os filhos para os Estados Unidos, alegando melhores estudos e oportunidades de trabalho, o que para surpresa da família ele autorizou. O patriarca, no entanto, ficou na Jordânia.

Oração e mudança

Foi nos Estados Unidos que Aisha passou por uma situação que a ver enxergar a verdade do amor de Cristo. Em dada ocasião, após ter ficado grávida com apenas 17 anos, ela recorreu ao Alcorão para encontrar conforto, mas ficou chocada com o que viu.

A jovem leu a Sura 4: 168-169, que diz: “Aqueles que descrêem e cometem erros, Alá nunca os perdoará, nem os guiará por um caminho. Exceto o caminho do Inferno”. Aisha então achou que estava condenada.

“Lembro-me de ter lido isso e de sentir muito medo e desesperança”, disse ela, lembrando que fez uma oração no momento. “Alá, eu não sei quem você é. Eu não sei se você ainda existe. Tenho orado a você há 27 anos e nunca senti sua presença”.

Todavia, enquanto chorava pelo desespero de achar que jamais seria perdoada e que o seu destino seria o inferno ela ouviu uma voz que lhe disse o nome “Jesus”. Foi quando a jovem fez outra oração.

“Jesus, eu não sei quem você é, mas se você é quem eles dizem que você é, por favor, revele-se para mim, porque eu não posso mais viver a vida assim”, disse ela. “Foi a primeira vez que me senti diferente ao orar, clamando por qualquer forma de paz”

Aisha teve a oportunidade de namorar com um rapaz cristão e ter contato com a Bíblia dele. Em certa ocasião ela abriu o livro e leu a passagem de Romanos 5: 8, que diz: “Mas Deus prova seu amor por nós, que, enquanto éramos ainda pecadores, Cristo morreu por nós”.

A leitura mudou completamente a visão de Aisha sobre o islamismo e o cristianismo. A então muçulmana reconheceu: “O amor de Deus por nós não é uma resposta à nossa bondade, mas apesar da nossa falta de bondade. Naquele momento, percebi como é diferente ser muçulmano e ser cristão”.

Hoje Aisha segue a Jesus Cristo e já teve a oportunidade de compartilhar isso com o seu pai, o qual também aceitou o Evangelho. “A única liberdade que encontrei disso foi em Jesus Cristo”, conclui, segundo o God Reports.

 

Deixe seu comentário: